O MDF é um material versátil e pode ser usado para inovar a decoração dos ambientesresidenciais. As placas são usadas na montagem de estruturas, enfeites e até mesmo móveis, substituindo desta forma a madeira convencional. Além da facilidade para montar as peças, o MDF também se destaca pelo fato de ser ecologicamente correto.

As pessoas sentem receio de usar MDF na decoração, não confiando na resistência do material. No entanto, a realidade tem provado exatamente o contrário, já que as placas estão sendo adotadas nas divisórias de closets ou na restauração de móveis.

O MDF é uma ótima opção para quem gosta de artesanato, afinal, o produto pode ser empregado para confeccionar diversos trabalhos. Os painéis de fibras de madeira são fáceis de ser cortados, podendo assim servir para fazer esculturas, vasos, caixas decoradas, móbiles, enfeites de parede e outros objetos decorativos.

O MDF pode ser usado na confecção de enfeites

Antes de fazer qualquer mudança na decoração com o MDF, é necessário conhecer as propriedades deste material. As placas são resistentes, garantem estabilidade, podem ser parafusadas ou encaixadas. Outra vantagem do material está no fato de poder colar as peças com cola branca.

Como usar MDF na decoração?

QUARTO INFANTIL

O dormitório montado para a criança precisa ser confortável e decorado com cores suaves. Além dos móveis básicos que compõem o ambiente, é interessante inserir algumas peças de MDF para personalizar a decoração.

Os quadrinhos que ilustram as paredes podem contar com moldura em MDF, tal como os apliques que permitem criar verdadeiros cenários lúdicos no espaço vertical. O material será usado basicamente para reforçar a atmosfera infantil, através do desenho de animais, carrinhos, nuvens, estrelas, flores, barquinhos, entre outros. Construir uma luminária infantil com MDF também é uma forma de decorar o quarto infantil.

Enfeites para todos os Ambientes

Além de ser adotado para decorar o quarto da criança, o MDF também pode ser um grande aliado para mudar o visual de outros ambientes da casa. No quarto de casal, por exemplo, é possível aproveitar o material para fazer apliques e decorar a parede de maneira sofisticada.

Quando se trata de enfeite pendente, os painéis de fibra de madeira podem ser empregados na confecção de mandalas para decorar a varanda. Na sala, use o MDF para montar molduras de quadros, porta-retrato e espelho.

Fonte: Mad. Paraense.

Conheça cinco vantagens em utilizar nesse tipo de móvel
Fazer melhor distribuição do espaço, conseguir aproveitar áreas perdidas para a organização e ainda dar um toque moderno para a decoração de cozinha. Sobre as bancadas ou dentro de armários, utilizar prateleiras de aramados é garantia de sucesso nesses três pontos do combo decorar + organizar, justamente pela funcionalidade e versatilidade das peças. Nossa dica: no final dessa matéria, uma vez escolhidas as melhores opções para você, limpas as bancadas e organizados os espaços internos e externos com prateleiras de aramados, você pode ir além. Apostar em outros detalhes e acessórios com lixeiras para pia, porta papel toalha, porta detergente e sabão, suporte para detergente e esponja (e por aí vai) vai deixar a cozinha ainda melhor decorada e organizada!

5 vantagens das prateleiras de aramados para organização e decoração de cozinha
1. Elas podem compor a decoração

Por exemplo: apostar em prateleiras de aramados que permitem deixar utensílios expostos na parede da bancada é uma ótima ideia de decoração de cozinha. Elas ainda otimizam o espaço de cozinhas pequenas e dão ao ambiente um visual moderno, independente do estilo que tenha elegido para a sua. Como estão disponíveis em branco e inox, o ideal é combiná-la com o resto das peças que vão ajudar na arrumação de espaços internos e externos e, assim, criar unidade visual no cômodo

É comum que cozinhas planejadas disponibilizem algumas opções de prateleiras de aramados para serem incluídas na hora da montagem do projeto (como escorredor de louças ou prateleiras giratórias para armários em “L”), e você pode complementar com o que mais for funcional. Dentro dos armários, elas normalmente podem ser encaixadas na estrutura do móvel, o que facilita a instalação, o uso e uma possível mudança de lugar, caso queira.

2. Elas são duráveis

Prateleiras de aramados são solução coringa para organização de quase qualquer espaço na casa. Na cozinha, especialmente, são boas opções por resistirem bem à umidade e pela facilidade de limpeza, já que são feitas de aço. Apenas com um pano úmido, é possível retirar poeira e até gordura; o que economiza bastante tempo e esforço de limpeza na cozinha. Como é possível mudar a maior parte das peças de lugar sem muito esforço, dá para aproveitá-las por anos (mesmo depois de uma repaginada no cômodo).

3. Elas ajudam a aproveitar melhor o espaço

Com prateleiras de aramados, espaços que aparentemente não têm utilidade ou ficavam mortos na cozinha se tornam funcionais. Uma forma muito comum de conseguir isso, por exemplo, é instalar aramados para aproveitar os vãos entre as prateleiras fixas do armário, que normalmente sobram na hora de fazer a organização da cozinha.

Para armários que ocupam quinas da cozinha e têm espaço interno de difícil acesso, existe a opção de prateleiras de aramado giratórias para dispor mantimentos. Ainda do mesmo material, é possível encontrar organizadores de gavetas, acessórios para organizar bancadas e pias, escorredores de louça, suportes para taças e canecas, cestos organizadores para espaços internos de armários e produtos que podem ser fixados atrás da porta dos armários para aproveitar o espaço (para armazenar tábuas de corte ou tampas de panela, por exemplo).

4. Você consegue soltar a criatividade, arrumá-las como quiser e até destiná-las para novos usos

Prateleiras de aramados existem em diversos formatos e tamanhos. Antes de partir para a parte da compra e instalação, é preciso pensar na madeira como deseja ordenar a cozinha e em tudo que ela precisa armazenar. Só dessa forma é possível saber em quais investir e como distribuí-las no espaço disponível, dentro e fora dos armários. É claro que todos os modelos encontrados no mercado foram pensados para um uso específico (existem peças feitas para armazenar temperos, por exemplo), mas nada impede que eles ganhem novas funções na cozinha de acordo com as suas necessidades.

5. Elas facilitam o dia a dia na cozinha

Ter uma cozinha organizada é a melhor forma de otimizar a rotina no cômodo. Uma vez que os armários estão arrumados por categoria e tudo está ao alcance das mãos (evitar o empilhamento é uma das máximas mais importantes do processo de organização!), é provável que você gaste muito menos tempo realizando tarefas – e também que se torne mais fácil saber o que você tem e o que falta na hora de fazer a lista de compras.

Fonte: Leroy Merlim

Com certeza alguma vez você já reparou nos puxadores do armário. Não são do seu estilo e inclusive pode-se dizer que são feios. Mas eles podem ser trocados sem nenhum problema, e colocando outros, não estaremos apenas dando um ar diferente ao armário, mas também ao quarto.



Para que você saiba acertar na escolha dos puxadores é necessário levar em conta as seguintes recomendações:

     Devemos acertar com o estilo, que encaixem na decoração do quarto. Numa porta de madeira de carvalho, podemos optar por colocar puxadores de porcelana.
     Procure que o tamanho do puxador seja proporcional à porta e a gaveta. Isto seria de maior interesse se você quiser que combinem.
     Nas lojas podemos encontrar uma grande variedade de modelos, assim que se você não encontrar nada que te agrade, pode seguir procurando.
     Quando houver comprado os puxadores, certifique-se de que estejam bem colocados. Tenha cuidado para não ficar com eles na mão quando for abrir um armário ou gaveta. Você pode realizar esta tarefa sem nenhum problema.
     Os puxadores mais cômodos para serem usados são os de barra. Podem ser fixos vertical ou horizontalmente e encaixam muito bem nos móveis de dormitórios e da cozinha. Os puxadores redondos são os menos decorativos.

Fonte: Projetos Habitissimos

O lixamento dos painéis de MDF é uma das etapas mais importantes para garantir que o acabamento dos móveis fique delicado e preciso. Para facilitar a sua rotina durante essa fase, conversamos com o marceneiro Elias Leão, que nos mostrou diversos truques e dicas. Confira a seguir todos os detalhes.

Sequência de uso

Antes de utilizar as lixas, certifique-se de que elas estão em bom estado de abrasividade. Conforme explica Leão, “Dessa forma, você garante que as fibras da madeira sejam desgastadas igualmente”.

A sequência correta das lixas deve seguir a gramatura, ou a “grana”. Primeiramente, utilize uma versão mais grossa para iniciar o lixamento. Na sequência, opte por uma grana mais fina, em média 50% menor do que a usada anteriormente: “Por exemplo, se você usou uma lixa grana 100, a próxima a utilizar é a grana 150 e depois a grana 220. Isso serve para conseguir tirar de uma maneira mais fácil os riscos da lixa anterior”, acrescenta o marceneiro.


Caso você utilize MDFs pré-lixados, como os da Arauco, é possível iniciar o trabalho com uma lixa grana 150, seguida pela de gramatura 220.
Utilização de máquinas

Muitos profissionais preferem empregar máquinas no processo de lixamento, especialmente em projetos maiores. Nesse caso, faça movimentos no sentido dos veios da madeira, evitando realizar ranhuras na superfície. A dica vale também para o procedimento manual.

Preste atenção também ao tipo do equipamento. A versão Roto Orbital, como a da imagem abaixo, não deixa marcas, podendo ser passada sem uma orientação específica, “Já as ‘treme-treme’, se você fizer movimentos rápidos, faça seguindo as fibras da madeira”, ensina Leão.

Fonte: Arauco
As ferramentas elétricas são equipamentos essenciais quando se deseja realizar manutenções gerais ou atuar em obras.

No entanto, quando não são conservadas em bom estado de funcionamento, estas apresentam, em primeiro lugar, um risco de segurança e, em segundo, podem afetar a produtividade daqueles que as utilizam. Logo, o custo de ferramentas elétricas portáteis adequadas e bem conservadas é considerado pequeno em comparação ao custo da perda de produtividade ou de um acidente resultante.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para manter ferramentas elétricas em bom estado. Acompanhe!
Armazenagem

O armazenamento ideal deve ser um dos primeiros pontos a ser observado para manter as ferramentas elétricas em bom estado. Neste caso, os equipamentos devem ser protegidos da umidade e conservados em um local seco e em algum. Uma dica é conservar as embalagens do fabricante, geralmente caixas plásticas resistentes, pois elas auxiliarão também na hora de transportar as ferramentas para outros locais.
Tomadas

As tomadas são um dos pontos mais abordados quando o assunto são ferramentas elétricas. Isto porque, no geral, os operadores costumam cortar as pontas de tomadas dos cabos das ferramentas elétricas de modo a tentar facilitar a ligação destas em qualquer ponto de energia. Vale ressaltar que este procedimento é errado e pode afetar a segurança tanto do operador, quanto de qualquer outra pessoa que esteja próximo ao equipamento. A melhor opção é fazer uso de uma extensão adequada, de modo a compatibilizar a ferramenta com o tipo de tomada que será utilizada.
Voltagem

A grande maioria das ferramentas elétricas atuais trabalha de modo bivolt, ou seja, funciona tanto em 110V quanto em 220V. Porém algumas delas como as  parafusadeiras, são somente 110V, e deste modo deve haver um cuidado quanto ao tipo de tomada que estas serão ligadas.
Limpeza

A limpeza é sem dúvidas um dos pontos mais importantes quando o assunto é conservar ferramentas elétricas e alguns fatores devem ser observados:

    Desconectar as ferramentas da energia antes de realizar a limpeza;
    Utilizar um pincel macio para limpar os resíduos de materiais que ficarem sobre o equipamento;
    Quando possível, utilizar um compressor de ar para retirar os resíduos das ferramentas;
    Limpar as entradas e saídas de ar das ferramentas elétricas de modo a mantê-las livres e evitar superaquecimentos em outras ocasiões de uso;
    Utilizar uma flanela limpa para limpar toda a carcaça do equipamento;
    Após a efetuar a limpeza, lubrificar as peças com óleo de máquina, de modo a evitar que estas venham a enferrujar com o tempo.

Acessórios

Além das ferramentas, os acessórios também merecem atenção para a conservação, já que estes também influenciam diretamente no desempenho e vida útil dos equipamentos.

Confira algumas dicas:

    Manter a chave de mandril sempre presa à furadeira e em bom estado, de modo a evitar problemas com a fixação de brocas;
    Manter serras e brocas afiadas para evitar forçar a ferramenta na execução de um trabalho;
    Verificar o desgaste de parafusos de fixação das ferramentas com os equipamentos para evitar que se soltem durante o uso.

Substituição de peças

Assim como carros ou quaisquer outras máquinas, ferramentas são projetadas para o desgaste e a substituição de peças. Algumas peças devem ser trocadas conforme o tempo estipulado pelo fabricante, como por exemplos os rolamentos, anéis de isolamento, retentores, parafusos de aperto entre outros.

Neste caso, é importante acompanhar as informações de troca destes itens no manual do equipamento, bem como contar com o apoio de uma empresa autorizada para realizar tais manutenções.
Revisão

Por mais que não se utilize regularmente algumas ferramentas, recomenda-se revisá-las ao menos uma vez no ano, para verificar a lubrificação das peças móveis, ressecamento e rachaduras de cabos e carcaças ou ainda a formação de ferrugem em áreas metálicas.

Pequenos cuidados diários podem fazer toda a diferença para manter uma ferramenta elétrica. Além disso, deve-se ter em mente que as instruções no manual de cada equipamento devem ser seguidas a risca para garantir a qualidade ao trabalho desempenhado e a segurança do operador.

Fonte: Blog da obra