Decoração é como moda: a cada temporada, um determinado material vira o queridinho da estação. Cada vez mais, a necessidade de conferir sofisticação e profundidade aos espaços faz com que tendências ganhem destaque no universo arquitetônico. Para esta temporada, a madeira vem cumprindo este papel, sendo utilizada em móveis, pisos, revestimentos de paredes e objetos de decoração, tornando-se referência entre os que almejam uma decoração elegante e moderna.

De acordo Bruno Maçães, à frente da Intervidro, existem diversas combinações possíveis para a madeira, como o uso do vidro, por exemplo. “É possível trabalhar com dois tipos completamente diferentes, mas eles têm que estar em harmonia, para que o excesso não deixe o resultado muito carregado”, comenta. Além disso, este casamento também é sinônimo de conforto. “As pessoas hoje estão muito voltadas para suas casas e aliar estes dois materiais é uma excelente sugestão para conseguir este estado de aconchego”, afirma. Ainda segundo o empresário, o vidro é um material versátil e cai bem quando aplicado em diversos cômodos da casa, como na sala, no quarto, no banheiro e até na cozinha. “A ideia, seja qual for o ambiente, é que o vidro proporcione um ar de contemporaneidade e versatilidade aos ambientes. Quando combinado com a madeira, fica ainda mais perfeito”, recomenda Maçães.

Fonte: Blog ne10 Uol

Separamos algumas dicas para você aprender a usar a madeira da melhor forma no seu ambiente.
1- Há no mercado as madeiras nobres, como maçaranduba, aro eira, ipê, jatobá, itaúba, peroba-rosa e pau-ferro, que são o tipo mais caro. Caso a intenção seja encontrar um preço menor, pode se optar por uma madeira como o eucalipto, que é reflorestada, mas tem status de nobre em função do tratamento por que passa, que retira o cupim come e enrijece a madeira. Quem aprecia as linhas retas não pode usar o eucalipto, por conta da forma roliça em que ele costuma ser vendido.

2- A madeira pode ser aplicada nas estruturas, como paredes e telhado, nos acabamentos, como forro, piso, em todas as portas e janelas, além de locais onde se queira incrementar esteticamente. Também há possibilidade de se fazer uma casa inteira de madeira. A única contra-indicação é a aplicação nas áreas molhadas, já que nelas a madeira funciona como uma “esponja”, absorvendo a água e se dilatando constantemente, o que leva ao apodrecimento.

3- Se houver problemas em madeiras estruturais, como as de pilares, é necessário trocar a peça inteira. Se o dano for superficial ou estético, é possível fazer um enxerto seguido de tratamento. Se a rachadura for nas paredes, há a possibilidade de se fazer a manutenção sem que seja preciso mudar toda a superfície.

4- Quem deseja ter uma casa inteira de madeira precisa realizar um tratamento químico de solo ao redor da morada para driblar o cupim. Esse tratamento garante uma média de cinco anos sem problemas com o inseto. Além dessa precaução, é importante adquirir uma madeira que tenha passado por um processo completo de secagem, o que não ocorre com todas elas. O consumidor leigo tem de observar se a madeira parece úmida antes de comprá-la; caso ela pareça, evite adquirir.

5- A manutenção da madeira deve ser feita com verniz naval. Se a parede recebe muita incidência solar ou chuva, deve ser impermeabilizada todos os anos, ou quando o proprietário achar adequado, por conta da estética. Em situações normais, basta envernizar a cada dois anos para manter sua durabilidade.

6- Há tipos de madeira indicados para cada necessidade. A maçaranduba, a itaúba e a jatobá são para as estruturas, por conta da resistência; a peroba-rosa é usada tradicionalmente para fazer telhados, apesar da aplicação poder variar; o pau-ferro serve para móveis, devido à cor bem escura. O ipê-amarelo vai na fabricação de escadas, portas e janelas e o roxo é indicado para estruturas, paredes e pisos e móveis. Já a agelimpedra é muito usada no ramo de movelaria em geral.

7- A melhor madeira para ser aplicada em locais úmidos é a aroeira. Em lugares secos e quentes, a maçaranduba e a itaúba são as opções mais indicadas, isso em razão das suas regiões de origem, como o Mato Grosso, por exemplo. Já a peroba rosa pode ser usada em todas as condições climáticas, por isso é amplamente adotada no telhado.

8- Para pintar a madeira, basta lixar, selar e usar tintas específicas. Os produtos para alvenaria são proibidos nesse caso, porque na madeira podem criar bolhas descascar. As madeiras que expelem resina natural com mais frequência ou que não forem secas em estufa podem apresentar bolhas depois da tinta, buscando um “respiro”.

9- A madeira nobre dura mais de 100 anos. Sem a manutenção devida, ela vai escurecendo. Se passou por todo o processo de tratamento inicial necessário, consegue manter o aspecto natural. Seja na área interna ou externa, a durabilidade é a mesma. A aroeira é a madeira mais nobre e resistente que existe; mesmo sem diversos processos de manutenção, ela mantém a durabilidade. Uma casa somente de aroeira é totalmente inviável, devido ao alto custo e à preservação do material.

10- Eucalipto é a mais barata e a mais indicada por causa da sustentabilidade. Sua árvore já está pronta para ser empregada na construção em apenas cinco anos, enquanto a madeira nobre demora 20 anos para virar uma árvore e, a partir daí, poder virar uma viga, por exemplo.

Fonte: Plantas flores e jardins

Decoração é como moda: a cada temporada um determinado material vira o quente da estação. E, como em uma semana de moda em que todos resolvem utilizar um determinado tecido, na última edição da Casa Cor os arquitetos apostaram em massa em um ingrediente principal: a madeira. Ela teve honras de favorita em praticamente todos os ambientes da mostra. Pisos, revestimentos de paredes, móveis, objetos de decoração. Tinha madeira em tudo.


Você já conhece a promoção que está rolando aqui na Casa do Compensado?

Aproveite esta super promoção, amigo marceneiro!
Nas compras acima de R$ 1000,00 ganhe, sem sorteio, 50 cortes profissionais de MDF. Corre, é só até de 31/10.
Dicas de manutenção para revestimentos de madeiraDevido à sua versatilidade, a madeira tem conquistado cada vez mais espaço na decoração de interiores. Se antes o material tinha uso restrito aos pisos e portas, hoje ele é encontrado com frequência nas mais variadas formas. Sua ampla gama de cores e tipologia faz com que seja possível utilizar a madeira em diferentes cômodos da casa, até mesmo em banheiros e áreas externas. As arquitetas de Londrina, Gabrielle Prado e Mel Cansian, explicam que para cada tipo de ambiente existe um tipo de madeira.