Se você está buscando um revestimento prático para seus móveis, o MDF pode ser uma excelente opção. A sigla é um acrônimo para “Medium Density Fiberboard” — o que, em bom português, significa fibra de média densidade.

O MDF é um produto que surgiu no início dos anos 70 e se tornou conhecido na metade dos anos 90. Trata-se de um material originado da madeira e fabricado com resinas sintéticas. Assim, o MDF é a mistura de fibras de madeiras prensadas, somadas para dar liga. Por esse motivo, ele é leve, sensível e de fácil manuseio.

No entanto, um problema que pode prejudicar a qualidade do material é o seu contato com umidade. Embora o MDF tenha certa resistência à água, o material não é imune à sua ação. Nesse sentido, móveis que estão sujeitos ao contato com a água requerem um revestimento adequado que impermeabilize todas as suas faces e todas as suas bordas.

Afinal, quando uma chapa é constantemente molhada, as fibras da madeira absorvem a umidade, causando inchaço e favorecendo o aparecimento de fungos que contribuem para a degradação do móvel.

Então, o que fazer para resolver esse problema? Como agir após perceber que seu mobiliário de MDF está molhado? Vale a pena investir nesse material?

Descubra a resposta para essas perguntas no nosso texto de hoje.

 
Vale a pena investir em MDF?

Na hora de escolher um móvel, é comum que surjam dúvidas sobre qual é a melhor opção. Com tantas alternativas disponíveis no mercado, o mais importante é conhecer um pouco sobre cada item para fazer uma compra sem arrependimentos.

Nesse cenário, um material que tem sido muito utilizado pela indústria de móveis, de estruturas e de divisórias é o MDF. Maleável e versátil, o material é perfeito para ser utilizado na fabricação de armários, cadeiras, mesas e estantes.

Algumas das vantagens que o MDF oferece são:
Durabilidade

Por proporcionar excelentes propriedades mecânicas e de resistência à flexão das chapas e variações bruscas de temperatura, as estruturas que são feitos com esse material têm uma durabilidade muito maior.
Resistência

A ação da umidade na madeira de móveis e de divisórias pode influenciar de forma determinante na união das peças, enfraquecendo as ligações e pode alterar também a dimensão do material. O MDF não oferece problemas de inchamento ou encolhimento, e o impacto raso da umidade protege o móvel da propagação de mofo.
Uniformidade

Por ser feito com fibras de madeira bem selecionadas, o MDF não apresenta nós e eventuais falhas que a madeira natural costuma exibir. Isso faz com que o material seja ideal para criar superfícies lisas — necessidade para alguns ambientes corporativos, por exemplo.
Sustentabilidade

A produção desse material não agride a natureza — suas fibras são utilizadas no processo de construção procedentes de áreas reflorestadas em escala.
Quais as diferenças entre MDF e o compensado?

Como vimos, o MDF é um painel de fibras de madeira, que possui grande resistência e estabilidade. O diferencial dele é que é possível pintá-lo e manuseá-lo de maneira muito fácil. Já o compensado é uma placa formada por folhas de madeira, que são colocadas uma sobre as outras em direções cruzadas para gerar equilíbrio na peça.

O compensado ainda apresenta uma maior resistência à umidade, por ser feito de um material leve que não necessita de ferragens especiais e que possui menor grau de empenamento.

Na hora de comprar, vale a pena identificar qual a finalidade do material — se é para um móvel, para uma divisória ou para uma estrutura. Avalie bem as necessidades e as características que precisa para comprar o tipo adequado.
Como cuidar e preservar o MDF?

Apesar de não oferecer problemas de inchamento ou de encolhimento, evitar que as estruturas e os mobiliários em MDF fiquem longe da umidade prolonga o efeito de acabamento da peça. Por isso, evite também colocar toalhas e panos molhados sobre a superfície.

Já quando o assunto é a limpeza do material, o processo é bem simples: apenas um pano macio embebido com água e sabão neutro já é o suficiente. Ou seja, a praticidade continua sendo um diferencial do MDF.

Além disso, evite colocar pesos excessivos e objetos quentes ou úmidos sobre a superfície. As peças podem quebrar, provocar irregularidades na estrutura ou, ainda, deixa marcas permanentes.

Por esse motivo, tenha todo cuidado na hora de colocar um móvel em MDF no seu cômodo ou de acrescentar uma divisória no seu ambiente corporativo.

No entanto, contratempos podem acontecer e precisamos saber como agir. Se você saiu de casa, deixou a janela aberta e choveu ou se algum funcionário derramou água no ambiente, é necessário saber como diminuir os estragos e reparar os problemas.
O que fazer ao molhar o MDF?

Esse tipo de material possui certa resistência água, mas, mesmo assim, é importante revestir todos os componentes do móvel, da estrutura ou da divisória para que respingos e molhamentos eventuais não prejudiquem a qualidade do material.

Entretanto, caso o móvel já tenha sido molhado, não entre em desespero! É possível amenizar a situação. Basta usar um esfregão seco, um pano ou papel absorvente para retirar a água o mais rápido possível.

Outra dica é colocar um ventilador ao lado da estrutura. Isso fará com que o ar se movimente sobre as placas e ajudará na remoção da umidade. Para esse fim, secadores de cabelo também ajudam nessa hora. Passe de forma uniforme o ar nas placas para frente e para trás.

Lembre-se que, quanto mais rápido você agir, menos danificado o móvel ficará. O tempo que a água fica no móvel pode deformá-lo por completo, causando até rachaduras se ficar úmido por um longo período de tempo.

Mas, para uma proteção maior, o adequado é escolher por materiais mais resistentes e de qualidade. Chapas revestidas são ideais para ambientes sujeitos ao eventual contato com água ou com alta umidade relativa do ar. Com esta proteção, a água deixa de penetrar na peça, permitindo que fique intacta por muito mais tempo e aumentando sua durabilidade.
Fonte: Cellus Corporativos

A escolha do produto adequado é o primeiro passo.

Veja como aplicar o produto em sua casa e melhore a aparência de móveis e pisos

A indústria de verniz busca diferenciais que tornam seus produtos mais resistentes e mais próximos das cores de madeiras, como a cerejeira, jacarandá, mogno, imbuia, canela e cedro. A umidade da de algumas regiões não é ideal para o manejo desse acabamento, mas a aplicação dos produtos é importante para o cuidado com os móveis e pisos de madeira.
Segundo o coordenador de produtos William Hamam, a escolha do produto adequado é o primeiro passo para envernizar a madeira. “O verniz marítimo é o mais cristalino, de acabamento brilhante e que por ser incolor não altera a tonalidade da madeira. Tem ótima resistência e pode ser utilizado na repintura sobre verniz.

Já o verniz duplo filtro solar, é bem mais resistente por ter em sua fórmula o aditivo absorvedor de raios ultravioleta que agem como filtro solar, protegendo e embelezando a madeira por mais tempo. Mas é bom ficar atento, pois o aditivo provoca alteração da tonalidade da madeira”, explica.
Como aplicar o verniz

As ferramentas necessárias para aplicação do verniz são: rolo de espuma, pincel de cerdas macias ou pistola de aplicação, bandeja ou caçamba, aguarrás, lixa para madeira 150 e 220, fita crepe e plástico, jornal ou lona para proteger áreas que não serão pintadas.

Quando a madeira é nova, é preciso lixar, remover o pó com pano umedecido em aguarrás, aguardar a secagem e aplicar uma demão do verniz diluído em aguarrás a 100% (1:1). Aguardar o intervalo de oito horas para outra demão; lixar com uma lixa 220 para remover as farpas da madeira e deixar o acabamento mais liso. Prosseguir para a próxima demão diluindo o produto como especificado na embalagem e aguardar o intervalo entre demãos para novamente lixar com lixa 220.
Já para pintar novamente sobre verniz, deve-se lixar com lixa 150, remover partes soltas e o pó, e depois prosseguir para as demãos do produto, respeitando o intervalo de 8 horas entre demãos e as proporções de diluição. Entre uma demão e outra de verniz deve-se lixar com lixa 220 para conseguir melhor acabamento.

Para ambientes internos são recomendadas de 3 a 4 demãos de verniz. Ambientes externos exigem de 4 a 5 demãos. Lembrando que entre uma demão e outra é necessário lixar com lixa 220 para melhor acabamento. O tempo de secagem ao toque é de 4 horas e entre demãos, de 8 horas.

Fonte: Revista zap imoveis

O visual rústico do piso de madeira mesclado com itens modernos é uma ótima inspiração para decoração das casas de campo. Quando bem projetado, o piso permite a ventilação de ar fresco na área amadeirada, amenizando a sensação de calor nos dias de sol muito forte.

Os pisos e os decks de madeira costumam ter uma ótima durabilidade, porém, para que estejam sempre em bom estado, alguns cuidados devem ser tomados desde a sua instalação.

O principal item é determinar o local de instalação. Para os decks de madeira, é aconselhável observar se por baixo do piso há condições favoráveis para o escoamento da água das chuvas; isso pode ser resolvido com caimento e ralo ou mesmo com um solo permeável.

A área em volta das piscinas e dos ofurôs precisa de um piso que, além de bonito, seja antiderrapante e tenha boa resistência à umidade e à insolação.

No mesmo local, é indicado o uso de madeiras nobres, previamente tratadas, resistentes a cupins e ao apodrecimento, como é o caso do ipê e da itaúba. Outra opção são os novos revestimentos: o porcelanato e o piso cimentício – que procuram imitar a madeira – e o plástico, feito a partir de materiais reciclados.

Na instalação, lembre-se de deixar o espaçamento necessário entre as placas para dilatação, evitando as fissuras e as tábuas empenadas. Essa regra vale para os pisos internos e externos.

Os decks de madeira, sempre expostos às ações do tempo, devem ser revestidos com verniz naval – responsável por protegê-los dos raios solares. A cada 6 meses, é necessário fazer a raspagem do produto e uma nova aplicação do verniz. Essa dica fará com que o seu piso dure em média 10 anos em bom estado.

O piso de madeira para ambiente interno deve receber a mesma manutenção que o deck. A diferença é o verniz utilizado: deve ser à base de água e sua raspagem pode ser feita uma vez ao ano.

Dicas do que não fazer

- Não encere um assoalho de madeira com acabamento em poliuretano.

- Não passe produtos de limpeza que deixem um filme ou resíduo.

- Não use limpadores de amônia ou sabonetes de óleo, pois afetam a sua capacidade de recobrir mais tarde.

- Não utilize esponjas ou palha de ação. Prefira um limpador de chão de madeira profissional para remover arranhões e marcas de sapato ocasionais.

- Não limpe o chão com um pano excessivamente úmido (a madeira naturalmente se expande quando é molhada em demasia).

- A madeira nos pisos e nos decks proporciona uma beleza única em ambiente externo, principalmente quando contrastado com uma área verde. Inspire-se!

Fonte: Permita-se viver

A madeira é um dos itens mais utilizados na construção civil e na arquitetura há centenas de anos. Por ser um material resistente, é empregada em estruturas e revestimentos, auxiliando no isolamento acústico e térmico da residência. Além de suas funções estruturais, a madeira é um material com alto apelo estético e pode agregar valor à sua residência dependendo de sua qualidade.

Os diversos fatores positivos como durabilidade, resistência e fácil manutenção contribuem para a utilização do material. Seus usos cada vez mais, têm sido fiscalizados e regulamentados, com o objetivo de torná-la um produto sustentável, podendo ser extraída apenas de zonas de reflorestamento, o que garante maior segurança e bom uso dos recursos naturais.

A extensa gama de tons provenientes de espécies variadas de árvores, pode trazer equilíbrio à sua residência, ajudar a compor ambientes, revestir pisos, paredes e ser utilizado em portas e janelas. É justamente durante o período de planejamento do projeto, que entendemos a importância da escolha da madeira em detalhes como a porta de entrada. Deste modo, é possível perceber o quanto ela influencia no conjunto da obra e como ela pode traduzir o estilo do morador. Por este motivo, apresentamos importantes questões que poderão te ajudar ao escolher a porta de madeira ideal para sua casa, suas vantagens e desvantagens. Vamos lá?!

Tudo que você precisa saber sobre portas de madeira!
A madeira permite um equilíbrio entre estruturas em concreto, tijolos ou vidro, no entanto, seu desenho tem que estar de acordo com o projeto da residência. O material pode estar em alguns detalhes como também ser o grande destaque da sua entrada. Pense nas maçanetas, design, tipo de madeira, tons e aberturas possíveis, lembre-se também, que existem três modelos básicos de aberturas: abertura simples, porta de corres e porta pivotante.

Que estilos combinam melhor com a porta de madeira?
A porta de madeira é um material que serve como um ponto de harmonia entre diferentes estilos, no entanto, é importante se ater ao projeto da casa para pensar o projeto da porta, por exemplo: uma casa mais minimalista normalmente terá uma porta com menos detalhes e linhas mais retas. O importante neste caso, é seguir um padrão de estilos mas não necessariamente um padrão cromático.

Por que escolher portas externas de madeira?
A porta de entrada além de cartão de visita da sua casa, é uma grande aliada à segurança. Por serem muito resistentes aos desgastes causados pela natureza, as portas de madeiras maciças muitas vezes são as escolhidas para este propósito. Além disso portas de madeiras, são exemplos de versatilidade pois combinam com diferentes ambientes e estilos.

Vantagens
A madeira é um elemento que possui alto valor estético, pode ser entalhada e trabalhada em diferentes tamanhos e formatos. Possui colorações e aparências variadas, o que permite a sua junção com materiais como o vidro e o ferro. Além disso, é um material de grande durabilidade e resistência e por estes motivos pode ser utilizada tanto na parte externa como interna da residência. Os arquitetos da ODVO trabalharam com uma porta de correr feita a partir de ripas de madeiras moduladas, criando um efeito geométrico bem interessante neste ateliê.

Fonte: Homify (adaptado)

A vida útil e a durabilidade do MDF dependem de vários cuidados que devemos ter, tanto com os móveis já finalizados quanto no manuseio e trabalho com as chapas.
Confira a seguir algumas dicas que vão ajudar a manter a sua peça sempre bonita e resistente, sem dores de cabeça:
Mantenha longe da água
A água é o inimigo número um do MDF. Portanto, não deixe o móvel por muito tempo em ambientes úmidos ou expostos a goteiras. Caso contrário, com o tempo, certamente a chapa apresentará inchaço, alterações e outros problemas.

Muito sol? Também não
A exposição exagerada à luz do sol ou a fontes de calor intenso no dia a dia prejudica, pois algumas características da chapa são perdidas, acarretando manchas, amarelamento das bordas e variações de tamanho.

Evite os ataques
Em condições normais, os painéis estão isentos de mofo, presença de cupins e outros inconvenientes. Mas os ataques ocorrem se houver alta umidade, muito calor, pouca luz, ausência de ventilação etc. O combate periódico aos insetos e micro-organismos, com rotinas de limpeza e ventilação, dificulta a proliferação das colônias.

Batidas
Choques mecânicos frequentes, mesmo que não tão fortes, podem prejudicar as fibras do material, fazendo com que partículas se soltem e alterando sua estrutura. Neste caso, rachaduras podem acontecer, assim como danos nos cantos da peça, além do deslocamento da fita de borda.

Cuidado com o peso
O excesso de peso em prateleiras vazadas (sem fundo) não é recomendado. Uma estrutura de MDF com 80 cm de comprimento e sem pontos de apoio pode não suportar peso superior a 4,5 kg sem empenar. Fique atento em relação a isso.
Independente do tipo de carga aplicada, estar sujeito ao empenamento é comum em materiais desse tipo. Portanto, a avaliação estrutural do projeto é recomendada se houver suspeitas.

Jamais aplique solventes
Um dos erros mais comuns é utilizar produtos nocivos durante a limpeza. Misturas com querosene, por exemplo, provocam danos irreversíveis.
Na limpeza da face revestida, recomenda-se o uso de uma flanela limpa e seca ou um pano umedecido em água ou detergente neutro, se necessário. Para remoção de manchas, utilize um pano umedecido com solução de água e álcool. Nunca utilize produtos abrasivos, como saponáceos, esponjas de aço e outros.

Fonte: arauco paineis